Extrema ganha mais um prêmio de meio ambiente

Extrema ganhou mais um prêmio pela sua Gestão Ambiental, no ll Fórum Brasil de Gestão Ambiental (FBGA). O evento tem por objetivo integrar, estimular e articular as diversas iniciativas que visam a sustentabilidade e o fortalecimento da gestão ambiental pública e privada no país.

Nossa cidade ficou entre os 140 municípios do Brasil indicados pelos órgãos ambientais estaduais para o recebimento do prêmio.

Este é o 11º prêmio que a cidade ganha em Gestão Ambiental.

REVISÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO (PMSB) E PLANO MUNICIPAL DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PMGIRS)

Após audiência pública realizada em 25 de janeiro de 2019, na sede da Secretaria de Meio Ambiente, a Revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) e do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) de Extrema foi submetida à apreciação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Ambiental (CODEMA), em sua 117ª Reunião Ordinária ocorrida em 08 de março de 2019, tendo sido considerado aprovado. Dessa forma, foi publicado o Decreto Municipal nº 3.510, de 22 de março de 2019, que aprova a Revisão do PMSB e do PMGIRS.

O PMSB contém determinações sobre os sistemas de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e drenagem urbana e manejo de águas pluviais, considerando um horizonte de 20 anos (2019 a 2038). O PMGIRS, por sua vez, é um instrumento de planejamento para a estruturação do setor público na gestão dos resíduos sólidos, contemplando o diagnóstico sobre a situação atual dos resíduos gerados no município, bem como a definição de diretrizes, estratégias e metas, segundo as quais as ações serão desenvolvidas.

Acesse o documento de revisão clicando aqui.

Secretaria de Meio Ambiente, 19/06/2019. Redação – Lucas Velloso. Revisão – Patrícia Omura.

Dia Mundial do Meio Ambiente traz reflexão sobre preservação ambiental

Com a finalidade de promover ações de proteção e preservação do meio ambiente, o Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado anualmente no dia 5 de junho. Trata-se de um evento que teve início em 1972, na Conferência de Estocolmo, liderado até hoje pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Neste ano, as comemorações serão sediadas na China sob o tema “Poluição do ar”. A temática busca discutir os impactos negativos da ação humana e quais medidas devem ser tomadas para combater este mal. Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC -Malásia 2007) uma das estratégias para estabilizar as emissões de gases do efeito estufa é o reflorestamento.

A restauração de matas ciliares foi considerada como uma das prioridades para a preservação ambiental pelo PNUMA. Diante dos fatos, a grande iniciativa da cidade de Extrema relacionada à preservação do meio ambiente é o Projeto Conservador das Águas, que existe desde 2005. O projeto busca intervir nas áreas degradadas em propriedades rurais, aumentando a cobertura florestal nas subbacias hidrográficas além de promover o conceito de manejo integrado de vegetação, solo e água, na bacia hidrográfica do Rio Jaguari.

Em 2018, o Conservador das Águas ultrapassou a quantidade de 1,6 milhão de mudas plantadas e 6.849 de hectares protegidos. O projeto é pioneiro no Brasil em pagamento por serviços ambientais (PSA) e foi vencedor de vários prêmios, incluindo o “Prêmio Internacional de Dubai 2012 de Melhores Práticas para Melhoria das Condições de Vida”, promovido pelo Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (Habitat/ONU).

O projeto também tem o compromisso de compartilhar todo o conhecimento adquirido no Conservador das Águas com os municípios da Serra da Mantiqueira.  São mais de 50 cidades mobilizadas no Plano Conservador da Mantiqueira.  

Além deste, Extrema tem inovado em 2019, implantando o Programa Extrema no Clima. A medida visa estabelecer ações para o combate ao aquecimento global e tornar a cidade neutra em emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). É  o primeiro projeto instituído por município no Brasil e mais de 50 empresas aderiram ao programa, compensando as suas emissões de GEE.